quinta-feira, 29 de abril de 2010

POETAS LUSÓFONOS 6 - Guiné-Bissau

Bissau vista do rio Geba. Imagem daqui


Cantos do meu País


Canto as mãos que foram escravas
nas galés
corpos acorrentados a chicote
nas américas


Canto cantos tristes
do meu País
cansado de esperar
a chuva que tarde a chegar


Canto a Pátria moribunda
que abandonou a luta
calou seus gritos
mas não domou suas esperanças


Canto as horas amargas
de silêncio profundo
cantos que vêm da raiz
de outro mundo
estes grilhões que ainda detêm
a marcha do meu País

Julião Soares de Sousa

terça-feira, 27 de abril de 2010

SAUDADES DE CÉU AZUL

Neste tempo em que um vento forte persistentemente nos fustiga, uma chuva oblíqua e agressiva teima em não nos abandonar, um nevoeiro húmido, escuro e triste esconde-nos a a beleza da paisagem e o mar agride continuamente a nossa costa... deu-me saudades de ver fotografias desta ilha com céu azul!

Afinal não foi um sonho, tempos houve em desde o nascer-do-sol que até ao final da tarde, o céu estava realmente azul, não havia nuvens no ar e o mar estava calmo. As fotos testemunham-no e reavivem memórias dessa época... que saudades desse tempo que parece não mais querer voltar e se instalar!

domingo, 25 de abril de 2010

CRAVOS DE ABRIL

O meu craveiro de Abril este ano não floriu.
Está ainda vivo... até tem botões,
Mas Cravos não tem.

Não sei se pressente o Estado da Nação...
Se é mera coincidência,
Sei apenas que o meu craveiro,
Não tem cravos em Abril.

Abril foi um raio de Liberdade,
Uma fonte de Esperança...
E o meu craveiro de Abril então floriu.

Já não vejo a Esperança no meu País...
Sinto a Liberdade angustiada
E o meu craveiro de Abril este ano não floriu.

25 de Abril de 2010

sexta-feira, 23 de abril de 2010

23 de Abril - Dia Mundial do Livro

Tal como fiz no passado, comemoro o dia do livro divulgando aqueles que li no ano anterior e que mais gostei, eis portanto os primeiros em três categorias:
Melhor livro de escritor português: "Nenhum Olhar" de José Luís Peixoto
Prémio Saramago de 2001, com uma escrita entre o fantástico e o deprimente, descreve vivências rurais alentejanas de uma forma muito original. Possui algumas das páginas de escrita literária contemporânea mais belas na língua de Camões que li nos últimos anos, um poema em prosa.

Melhor livro de literatura Canadiana "The View from Castle Rock" de Alice Munro
Uma série de contos que descrevem a saga dos antepassados da autora desde a Escócia, até ao Canada chegando às suas memórias de adolescente e jovem mulher. Um dos livros mais ternurentos que li até hoje, mesmo no relato de alguns pormenores mais sombrios. Foi considerado um dos livros mais belos da literatura anglo-saxónica da última década. Publicado em Portugal pela Relógio d'Água com o título "A vista de Castle Rock".

Melhor livro do ano "As Benevolentes" de Jonathan Litell.
Um livro grande (mais de 1000 páginas) em dimensão e densidade de escrita de um autor norte-americano que escolheu o francês para esta prosa, adoptou um oficial homossexual alemão das SS para protagonista e a frente oriental da Polónia até às margens dos Mar Negro para relatar os horrores e absurdos da segunda grande guerra. Uma obra com uma violência psicológica extrema, mas onde a riqueza dos ensinamentos culturais e a forma de pensar no seio das SS são descritos de um modo ímpar. Um dos melhores livros que já li até hoje.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

22 de Abril - DIA DA TERRA

Terra vista da Apolo XVII, imagem daqui

Terra, a seiva que nos sustenta
Terra, a água que nos revigora
Terra, o lar onde se mora
Terra, o chão onde se assenta

Terra, que a humanidade ingrata...
maltrata
Terra, que mesmo poderosa...
o Homem despoja

Terra mãe que reprende
Numa lição de Ternura
Contra uma teimosia que perdura
De um Homem que não entende

Homem que resiste
Ao Éden que o cria
Traça o fim triste
da Terra que o queria

segunda-feira, 19 de abril de 2010

IGREJA DO CARMO na HORTA

É sem dúvida um dos imóveis mais imponentes da Horta e uma das fachadas de maior beleza e elegância da cidade.


Um conjunto arquitectónico marcante, mas com importantes sinais de degradação e há muito fechado ao público. Contudo, um espaço com estruturas envolventes cheias de potencialidades.

No aglomerado urbano, a imponência deste templo é ainda realçada: pela disposição em anfiteatro da Horta e pelo contraponto que a altura do seu alçado faz com a vizinha igreja do colégio dos Jesuítas situada a uma cota inferior.
Um edifício fechado à população, cujo interior há já mais de duas décadas não visito. Não me lembro de me ter impressionado pela sua riqueza decorativa, contudo as suas dimensões qualificavam-no como o espaço de grandes potencialidades para o uso público.
Um imóvel que evidencia quanto os poderes políticos e religiosos desprezam o património legado pelos nossos antepassados e vedam ao povo o uso de imóveis que tão úteis poderiam ser.

Para saber mais ou reflexões sobre este templo, consulte este post do blog Horta XXI

quinta-feira, 15 de abril de 2010

POETAS LUSÓFONOS 5 - São Tomé e Príncipe


Em torno da minha baía

Aqui, na areia,
Sentada à beira do cais da minha baía
do cais simbólico, dos fardos,
das malas e da chuva
caindo em torrente
sobre o cais desmantelado,
caindo em ruínas
eu queria ver à volta de mim,
nesta hora morna do entardecer
no mormaço tropical
desta terra de África
à beira do cais a desfazer-se em ruínas,
abrigados por um toldo movediço
uma legião de cabecinhas pequenas,
à roda de mim,
num voo magistral em torno do mundo
desenhando na areia
a senda de todos os destinos
pintando na grande tela da vida
uma história bela
para os homens de todas as terras
ciciando em coro, canções melodiosas
numa toada universal
num cortejo gigante de humana poesia
na mais bela de todas as lições
HUMANIDADE.


Alda do Espírito Santo

terça-feira, 13 de abril de 2010

Bonitas Terras Açorianas 4 - URZELINA


Desde criança que esta povoação na ilha de São Jorge, disposta ao longo de uma encosta íngreme imensamente arborizada e com o coração em torno do seu porto, me cativou.

Efectivamente em torno da pequena baía da Urzelina concentram-se numerosas actividades de lazer, suportados pelo porto de pesca, recreio náutico e utilizado para banhos de mar, pela piscina como infra-estrutura balnear, diversas restaurantes e imóveis de alojamento turístico, incluindo um parque de campismo tornam esta zona num dos locais mais cosmopolitas desta ilha.

A beleza desta área é ainda enriquecida quando se olha o mar, pois as outra duas ilhas do Triângulo se mostram com grande força e permitem não só magníficos cenários, como oferecem coloridos pores-do-sol.

A freguesia possui numerosos imóveis com grande riqueza patrimonial e arquitectónica dispersos pelo povoado, alguns com valor histórico como a célebre torre da antiga igreja destruída por uma escoada lávica durante a erupção de 1808, um dos actuais ex-libris da Urzelina.

Foto retirada daqui

sexta-feira, 9 de abril de 2010

CONCERTO DA PÁSCOA 2010 - Vídeos

Já está no YouTbe, na página onde são colocadas as actividades da orquestra Horta Camerata, o Concerto da Páscoa 2010.



Por opção e gosto pessoal, seleccionei apenas para este post o Concerto para Oboé de Cimarosa, tendo como solitas Frederico Fernandes.



Mais vídeios deste concerto disponíveis no canal varadouromusic do YouTube e boas audições.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

POETAS LUSÓFONOS 4 - Timor Loro Sae

Imagem daqui e nas referidas condições



Meninas e Meninos

Todos já vimos
nos livros, nos jornais, no cinema e na televisão
retratos de meninas e meninos
a defender a liberdade de armas na mão.

Todos já vimos
nos livros, nos jornais, no cinema e na televisão
retratos de cadáveres de meninos e meninas
que morreram a defender a liberdade de armas na mão.

Todos já vimos!
E então?


Fernando Sylvan

domingo, 4 de abril de 2010

CONCERTO DA PÁSCOA 2010 - Novo Sucesso

A Horta Camerata, numa igreja a abarrotar, um templo que é uma maravilha na acústica, começou o seu concerto de Páscoa em "Sábado de Aleluia" com um Larghetto do Concerto Grosso n.º 6 de Haendel como a preparar terreno para o que vinha a seguir.

e prosseguiu com o Concerto para Oboe de Cimarosa, com o ainda jovem solista Frederico Fernandes acompanhado pela Horta Camerata que o Maestro em exercício, Kurt Spanier, conduziu com a leveza e a clareza do estilo clássico da primeira escola de Viena. Uma obra que eu desconhecia, mas onde o oboé (o meu instrumento de madeiras predilecto) se destaca, quase em contínuo, desde o início até ao fim. Frederico Fernandes terminou com grande brilho e mostrando um domínio maduro do oboé.

A primeira parte do concerto terminou com o "Exultate, jubilate" de Mozart, onde não só o vienense Kurt Spanier se sente em casa no estilo, como Mariana Leka, da ópera de Tirana e já nossa conhecida do concerto da Páscoa de 2009, domina perfeitamente todas as subtilezas da obra para nos deslumbrar com a sua técnica e voz, realçando os pontos fortes desta oração musical.

A segunda parte foi integralmente preenchida com a Sinfonia n. 29 de Mozart, onde a orquestra, ajudada pela acústica do templo e o gosto vienense de Kurt Spanier, foram mais que suficientes para que, numa linda obra, tanto o conjunto de músicos, como a sinfonia, brilhassem.



Após os aplausos intensos do público, este foi agraciado com um encore de uma aria de "La Forza del Destino", com um arranjo propositado para a Horta Camerata, a voz de Mariana Leka e o acompanhamento da violeta de Danusha Waskiewicz.

No fim, grande satisfação entre os presentes, fica-se a aguardar mais concertos de música erudita e um agradecimento muito especial ao Tenor Kurt Spanier, pela sua capacidade de trazer à Horta concertos com a qualidade das cidades europeias e pelo muito que tem dado a esta ilha nas artes de Orfeu.

sábado, 3 de abril de 2010

PÁSCOA A FESTA DA VIDA


O facto das religiões seguirem também os ciclos naturais, torna de facto normal que a Páscoa seja um hino à vida:
Desde o significado cristão com o triunfo da Vida
Passando pela Primavera onde as flores brotam para gerar vidas
Continuando com o coelho como símbolo da fertilidade
E terminando no ovo, de aspecto inanimado, mas uma vida potencial
Cujas culinária levou ao aparecimento dos folares, amêndoas e ovos de chocolate
Nesta festa tudo louva a força da vida.

Assim, crente ou não crente, aproveitem a Vida que possuem e votos para que tenham uma
Feliz Páscoa