quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Concerto de Canto Piano e Flauta na Festa no Varadouro

Para quem já foi, palavras para quê, para quem ainda não experimentou estes saraus uma oportunidade que convém não perder...

Garajaus Comuns

Garajaus Comuns (clique para ampliar a foto)

Para mim o Garajau Comum (Sterna hirundo) é uma das aves marinhas migratórias mais simpáticas que encontramos ao longo da Primavera e Verão no litoral dos Açores, onde nidificam 2000 a 3000 por cento dos cerca de 10.000 casais em todo o Atlântico, preferencialmente nos ilhéus da nossa costa, período que podem ser agressivos na defesa dos ninhos.
Conhecidos no Continente por Andorinhas do Mar Comuns ou Gaivinas Comum, no Inverno lá emigram para terras menos agrestes mais para o sul, tendo já sido encontrados no Brasil indivíduos anilhados nos Açores.

Nota: Existe uma outra espécie muito semelhante, rara e tímida, difícil de encontrar em lugares humanizados e de distinguir, o garajau rosado (Sterna dougallii), o seu bico é mais escuro e a cauda mais longa.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

HORTA COLORIDA

Gosto de cidades brancas a brilhar ao sol, tal como gosto de cidades com cor que se mantêm vivas com um céu nublado e não se tornam berrantes em dias de muita luz.
Eis, uma rua da Horta que além de contrastes de arquitectura de várias épocas, respeita os princípios acima expostos, onde o cinza é da tradicional pedra à mostra e da montanha do Pico ao fundo, mas não forjado num gabinete da administração pública dos anos pós 1980, que ostensivamente se alastrou desde então e que agora dá sinais de retrocesso.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Horta florida...

Gosto de cidades com jardins públicos bem cuidados e floridos e de rua onde há cuidado com arranjos florais.
Nos últimos anos, felizmente, numerosas floreiras alegram e embelezam a freguesia Matriz da Horta...
Mas para mim é o jardim Florêncio Terra que respira beleza em todos ângulos e é talvez o que mais flores apresenta em toda a Horta, tudo isto complementado pelo seu magnífico enquadramento com as Instalações do DOP, proximidade da torre do Relógio e vista para o Pico... um espaço a visitar, relaxar, ler um livro, apreciar a paisagem ou simplesmente deixar-se encantar

terça-feira, 23 de agosto de 2011

OCEAN EYE - Uma nova forma de conhecer a mar açoriano

Neste artigo ficou prometida a publicação de um novo a relatar a viagem realizada na embarcação "Ana G" da empresa de actividade marítimo-turística Ocean Eye, também em rede social, a qual possui um fundo transparente que permite observar de uma forma ímpar os fundos marinhos por onde se navega...

Uma perspectiva do fundo e da proa do Ana G

Há momentos onde as fotos são uma sombra da realidade e esta reportagem enferma desse problema, pois se a visão dos olhos é capaz de atravessar perfeitamente o vidro, as lentes da câmera deixam-se perturbar pelo reflexo da luz do dia em prejuízo da beleza retratada.

Cardume de vejas a dormir

Trata-se de uma viagem onde a biodiversidade oceânica da zona costeira do Faial é exposta de uma forma única e ao vivo, explicada em directo por biólogos marinhos, alguns com interessantes curricula científicos e por isso conhecedores plenos do que mostram.

Uma estrela-do-mar num fundo rochoso

Peixes bentónicos como solhas, raias, moreias (pintada e a endémica preta); moluscos como os polvos; equinodermes; crustáceos como caranguejos subaquáticos e outros, uma fauna que varia em função dos fundos serem lodosos, arenosos ou rochosos. Peixes pelágicos de coloração variada, como vejas, sargos, garoupas, salmonetes, etc. Mais nteressante é sem dúvida a explicação ao vivo de alguns comportamentos que observamos, que vão desde posições de dormir, hábitos oportunistas, vivências em simbiose até rituais de acasalamento...

Marcas de dissolução em tufo por ouriços-do-mar para alimentação

Não nos podemos esquecer ainda da flora marinha, como algas verdes, vermelhas, outras construtoras de estruturas calcárias e inclusive algumas infestantes como a Caulerpa webbiana ou ainda os efeitos dos seres litófagos (comedores de rocha) sobre os estratos geológicos como as escavações dos ouriços no tufo vulcânico submerso.

Uma gruta costeira em tufo vulcânico com belíssimos contrastes de cor

Claro que não podia ficar para trás a geologia submarina. São os fundos da plataforma de abrasão resultante da erosão marinha do Faial, esta pode estar coberta por blocos rolados (restos da ilha), escoadas costeiras subaéreas que ficaram submersas aos longo dos últimos milhares de anos e ainda lavas em almofada formadas debaixo de água (testemunho de um edifício vulcânico que teima em crescer e emergir). Na zona costeira temos o testemunho da luta terra-mar, onde as grutas são sem dúvida um dos aspectos de maior beleza. Mas talvez a maior atracção seja mesmo a desgaseificação submarina da ponta da Espalamaca sobre a qual já expliquei e apresentei em filme aqui feito por um dos guias e sócio da Ocean Eye.

Moreia Pintada muito comum na zona de desgaseificação

Sem dúvida que para conhecer os fundos marinhos em torno do Faial, a fauna e flora oceânica e a geologia que nos cerca de uma forma acessível, muito confortável e sobretudo convenientemente interpretada por quem conhece a biologia, uma viagem na embarcação Ana G da Ocean Eye é uma oportunidade a não desperdiçar e que recomendo vivamente.

domingo, 21 de agosto de 2011

Envolvente de um almoço de bloggers

Em Santo António do Pico, cercado do negro de escoadas basálticas que penetram o oceano como uma impressionante planície negra a conquistar o azul das águas...

diante de uma araucária que me recorda um quadro de van Gogh e perante o cheiro permanente a mar, decorreu mais um almoço convívio de bloggers cuja minha amizade nasceu na blogosfera e onde o Pico é tema comum que nos une a todos nós...

sábado, 20 de agosto de 2011

Almoço de bloggers no Pico

Como já vai sendo habitual, no mês de Agosto recebo um convite de bloggers associados ao Pico para ir a um almoço convívio. Este ano não foi excepção...
Por isso, acabado de chegar de São Miguel, lá vou atravessar o canal em direcção à ilha Montanha, só que agora faço-o com prazer, pois a amizade também se alimenta na confraternização ao longo de um almoço de bloggers e uma das melhores coisas da vida é mesmo encontrarmo-nos com os amigos.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

VIAJAR como sacrifício

Nunca escondi que gosto de viajar em férias, mas em trabalho pode ser um enorme sacrifício e hoje é um desses casos.
Estar impossibilitado durante as idas e vindas para o emprego de ver a paisagem majestosa da Montanha do Pico diante do Faial, interromper os meus banhos diários no meu paraíso da terra após uma jornada de labor, deixar para trás os fins de tarde a ler enquanto o crepúsculo desce ao som do chilrear da numerosa avifauna que cerca o verde da Ribeirinha e a assistir os voos picados dos morcegos, tudo isto que me relaxa aqui, para me deslocar a São Miguel profissionalmente é um sacrifício enorme para quem não tira férias no Verão, precisamente para viajar sem perder as as benesses do tempo estival na ilha Azul...

domingo, 14 de agosto de 2011

SEMANA DO MAR - O Grande Concerto de Filarmónicas

O conjunto de músicos

A Filarmónica Unânime Praiense (FUP), da freguesia faialense da Praia do Almoxarife, assumiu um grande desafio, levar a cabo um concerto reunindo a sua filarmónica, a maior da ilha, com a Filarmónica União Assaforense do concelho de Sintra (Continente), num conjunto que rondou o impressionante número de 120 músicos em simultâneo.

A versatilidade de dois maestros em acção

Um programa musical diferente do habitual da FUP, a que além dos instrumentos habituais juntaram a voz, foram tocadas grandes obras de índole mais popular em detrimento das de origem erudita por ali passaram, bandas sonoras de cinema, rock sinfónico, dixie jazz, marchas populares portuguesas, marchas internacionais, nacional cançonetismo e até a orquestração de uma modinha do folclore faialense.

Uma voz para recordar

Na generalidade o concerto apresentou uma interpretação das obras puxando o seu brilhantismo, com alguns momentos de solos individuais e de alguns naipes de instrumentos, apelou por vezes às palmas do público para intensificar o ritmo e a envolvência dos presentes que enchiam completamente o Largo do Infante como há muito não se via numa Semana do Mar.
Um destaque para o timbre melodioso da voz de Rita Biscoito, clara, segura, com grande capacidade de se moldar a vários estilos musicais interpretados, excelente integração no evoluir da orquestração e uma boa dicção, mostrando uma polivalência vocal não muito comum.

Dixie Band e filarmónicas num momento de jazz

Sem dúvida que este foi o concerto que mais gostei nesta festa e um dos melhores dos últimos anos não só no género deste tipo de bandas, como em muitas edições da Semana do Mar. Uma aposta totalmente ganha. Parabéns aos músicos e aos organizadores da iniciativa.
O concerto volta a repetir-se amanhã, nas festas de Nossa Senhora da Graça na Praia do Almoxarife.

sábado, 13 de agosto de 2011

Actividades na Semana do Mar

A Semana do Mar durante a noite tem sido um momento de animação, encontro e convívio de amigos entre os restaurantes, tasquinhas, chamarritas e concertos.
As tardes, após o trabalho, passadas em banhos ou num passeio pelo mar oferecido por uma empresa de observação dos fundos marinhos e interessada em compreender alguns aspectos geológicos observados a partir do seu barco, tantas actividades comprometem-me o tempo disponível que o blogue exige, por isso esta viagem será alvo de um artigo em breve.
Por agora, a Semana do Mar prossegue com mais música, mar, livros e convívios

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

SEMANA DO MAR - FESTA DO LIVRO 2011

Mais de 4300 títulos e acima de 34000 livros estão disponíveis na Festa do Livro no Faial, uma iniciativa levada a cabo na Biblioteca Pública da Horta. Efectuada nos moldes do ano passado embora desta vez situada na sala de exposições na parte nova do edifício, praticamente possui o dobro de livros que a população da ilha.

Livros caros, barato e em saldo, destinados a crianças e adultos, desde obras de divulgação científica, social, política e económica, dicionários e cursos de línguas, passando por romances de elevada qualidade literária a outros de gosto mais popular e ainda excelentes peças de cultura editadas por instituições açorianas sobre o nosso Arquipélago. Tudo isto existe na diversificada Festa do Livro.

Uma vez que no ano passado optei por grandes clássicos a baixo preço e ensaios, agora esse campo está relativamente coberto, pelo adquiri sobretudo obras premiadas e de renome a custos mais elevados... mas já se sabe, para quem gosta de livros e de ler há grande probabilidade de encontrar obras do género que pretende, por isso aproveite.

domingo, 7 de agosto de 2011

SEMANA DO MAR 2011



Arrancou a Semana do Mar 2011, o maior festival náutico dos Açores e as Festas de Verão mais conhecidas do Faial uma semana que tem 10 dias de duração.
Tal como no corpo humano o coração não se vê, mas coloca todo o ser a funcionar, também as atividades marítimas talvez nãos sejam as mais comentadas pelos visitantes destas festas, mas são elas o cerne da Semana do Mar e, como já vem sendo tradição, tentarei alguma ação em pleno oceano para homenagear o espírito do evento.
Normalmente o que anseio mais é a feira do livro, agora designada de Festa do Livro e a descoberta do nível das filarmónicas, segue-se as provas na Feira Gastronómica, o convívio nas tasquinhas e o encontro de amigos há muito distanciados pelas mais variadas partes do mundo, no ano passado estreei a entrada em chamarritas abertas aos cidadãos, como fã desta moda talvez repita a experiência. Os concertos tardios começam a ser cada vez mais distantes do meu género, mas penso assistir um ou outro para recordar o espírito de juventude.
Para conhecer o programa da Semana do Mar 2011 clique aqui.
Geocrusoe continuará aberto e talvez com outros artigos sobre os acontecimentos da Semana do Mar. A todos os que passarem por estas festas… divirtam-se!

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

ÓPERA - Árias famosas em contraste 3 - A Calúnia

Muitos compositores aproveitaram a ópera para mensagens educativas, crítica social e mesmo política. Algumas árias juntam à beleza musical uma lição de moral ou uma denúncia que só pelo teor do texto valem a penas ser ouvidas e replicadas. "La Calunnia" é uma desses casos, como foi composta para um baixo não é normalmente cantada pelos nomes mais conhecidos do grande público, mas pela mensagem deveria ser ouvida e pensada por todos. Nunca ouvi melhor definição e descrição para a calúnia do que nesta ária.


A selecção da interpretação acima foi colocada tendo em conta também a sua legendagem em português para melhor compreensão do texto. O vídeo abaixo é uma comparação contrastante numa encenação mais moderna e num outro registo de voz de alguém que já cantou aqui numa mostra de virtuosismo.


Eu tenho a minha preferência de interpretação, o gosto é vosso, mas a mensagem é a mesma.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Faial observado do Pico

Faial visto das piscina do Calhau do Pico (clique para ampliar)

Neste blogue existe uma série de fotos do Pico a ser observado do Faial, onde aquele se mostra toda a majestade o cone vulcânico de 2351 m de altitude, mas tenho exibido poucas fotos do Faial a partir do Pico.
Não é a mesma imponência, mas o Faial mostra-se ao Pico com uma diversidade de pormenores que se pode passar longo tempo a admirar os numerosos verdes, as lombas perpendiculares à costa, os cabeços em terra, os montes sobre o mar, o casario disperso por imensos vales e o anfiteatro da Horta.
Mas o mais interessante é que esta omnipresença da ilha em frente, o mesmo de passa com São Jorge, faz com que no Triângulo não exista a sensação de isolamento, afinal há sempre mais uma terra ali em frente e nunca estamos sós, somos um povo que se dispersa por estes rochedos pelo mar fora e temos sempre um vizinho que nos acompanha.